Quantcast

A poucas horas da capital, uma viagem pela Argentina gaúcha junto aos homens e às mulheres da pampa úmida.

A poucas horas de viagem, partindo da cidade de Buenos Aires, os planos caminhos da pampa bonaerense tornam-se sinónimo de campos, estâncias e gaúchos. Aqui, ao galope dos cavalos criollos (autóctones), nas leiteiras e com a vista no horizonte povoado de plantações, a tradição rural mostra-se centenária. Estâncias senhoriais, bonitas pousadas rurais, pequenos hotéis de campo e pitorescos povoados turísticos incitam a começar o dia com o aroma do pão recém saído do forno. A tranquilidade da vida campeira chama a percorrer os campos da planície sobre elegantes cavalos criollos, andar de bicicleta pelas ruas largas e pavimentadas, conhecer nos centros tradicionalistas e interessantes museus o melhor da literatura e dos costumes gaúchos, e inclusive participar das tarefas rurais e, em todos os casos, encher a alma com a beleza de um horizonte infinito. 

Espalhados pelo Estado de Buenos Aires, os povoados turísticos narram sua parte da história argentina. Pequenos, pitorescos, erguidos nas margens de antigas estações de trem, compartem com o visitante seu irrenunciável espírito rural. Ao percorrer suas bem cuidadas ruas, compridas e largas, custodiadas por árvores centenárias, o tempo parece ter parado. Nas antigas pulperias onde o vermute se acompanha com porções de queijo e salame, o encontro se comemora com o melhor estilo vintage. Em museus situados entre belos parques naturais, a tradição marca a sua presença; de fundo soam zambas e vidalas. Nos arredores das lagoas onde deambulam os cavalos, com a companhia permanente dos cachorros de rua, o ar das pampas oxigena a alma. A experiência é, definitivamente, para compartilhar em família.

 

As estâncias senhoriais ostentam um passado vinculado à agricultura e à criação de gado. Ocultas entre antigos arvoredos, podem ser avistadas no final de sendeiros repletos de eucaliptos; são mais de 300 e recebem os viageiros com serviços de primeira qualidade dispostos em construções que aparecem como testemunha dos mais variados estilos arquitetônicos. Não faltam em nenhum caso os móveis de época, as lareiras os amplos janelões de frente para o horizonte, os pátios com as cisternas e as frescas galerias.

Pequenos, no entanto, encantadores, as pousadas e os hotéis de campo propõem experiências rurais ativas: participação nas tarefas –e as diversões- do gaúcho, a ordenhe, o arreio, a doma, as cavalgatas, os passeios em charrete e até alguma pajada. Se for tempo de verão, o mergulho nas frescas águas dos tanques australianos será fantástico! Durante o ano inteiro, os artesãos do couro e da prata rendem homenagem artística ao homem de campo, no solo de Buenos Aires. 

 

A experiência se completa com a degustação de comidas típicas, presidida pelo “churrasco no couro”. De portas sempre abertas, com exceção de algumas horas da tarde - quando em todo o Estado se cumpre, religiosamente, o ritual da sesta-, os armazéns de ramos gerais causam sensação. Alguns, antigas caixas registradoras e altas vitrines incluídas, aparecem como há cem anos; outros, charmosos, inovadores, igualmente cálidos, foram se transformando com espírito gourmet. 

Share Share Share Share

Mais para ver