Quantcast

Uma proposta de um dia para encher a alma com puro ar cordilheirano. Para contemplar a beleza das montanhas recostadas sobre o céu azul. Para andar sobre caminhos com história.

Os habitantes originários do território que hoje ocupa o Estado de Mendoza foram os huarpes. Durante o século XV e até a ocupação espanhola, a zona se incorporou ao Império Incaico. Ainda visível, o Caminho do Inca é testemunha da comunicação entre os povos em ambos os lados da Cordilheira dos Andes. A 38 km da capital do Estado de Mendoza, a pequena localidade de Cacheuta impacta pela sua geografia. Aqui, a Pré-cordilheira mostra uma paisagem bela e serena; e o Rio Mendoza e as águas termais permitem desfrutar tratamentos terapêuticos e atividades lúdicas para toda a família. Avançando no caminho, o viageiro atravessará Potrerillos, antigo assentamento agropecuário, hoje destino dedicado à aventura; Vallecitos, o centro de neve mais antigo de Mendoza; e a rural Punta de Vacas.

A 120 km de Mendoza capital, Uspallata representa um convite para desfrutar do verde intenso de seu belo vale de alta montanha. E a conhecer sua rica história. Nesta terra habitaram huarpes, mapuches e incas, mas também deixaram seu legado os Jesuítas e, em tempos da Independência, foi caminho de passo de uma das colunas da gesta libertadora que comandou o Gral. San Martín. O Museu Las Bóvedas -uma construção colonial de barro com tetos em forma de cúpula- é testemunha dos fornos de fundição de metal que estiveram em atividade até o final do século XVII.

Por volta de 60 km mais adiante, a 180 km de Mendoza, mostra-se misteriosa a Ponte do Inca. Uma formação geológica que funcionou como ponte obrigada no Caminho do Inca e para o Exército Libertador no cruzamento da Cordilheira. Gerado naturalmente sobre o Rio Cuevas pela erosão térmica das águas sulfurosas do mesmo, está coberto de sedimentos minerais que o pintam de vermelho amarelado. Obra da natureza está ligado a velhas lendas andinas. Em seu interior, e até ser destruído por uma avalanche o funcionou um hotel termal que era visitado por personalidades destacadas. Em suas redondezas existem três piscinas naturais por onde correm águas termais. 

Em direção ao oeste, a porta de entrada ao Parque Provincial Aconcágua. Meca dos andinistas, a terra do “teto da América”, o Cerro Aconcágua, apresenta uma paisagem de rochas, pendentes geladas e neves eternas. Pela rota de Horcones, a que recebe o maior número de montanhistas, todos os viageiros vão poder admirar a glaciária Lagoa de Horcones, um imenso espelho de água.

Pertinho da fronteira com o Chile, Las Cuevas indica o caminho ao Cristo Redentor. A 4.200 m.s.n.m., esta escultura de 10 metros de altura inaugurada a princípios do século passado é o primeiro monumento internacional à paz. E uma postal fotográfica imperdível.

Share Share Share Share

Mais para ver