Quantcast

No coração da Quebrada de Humahuaca, um povoado de ruas de terra avermelhada e casas de adobe que se fundem em uma paisagem de impactantes cerros multicolores.

A 65 km de San Salvador de Jujuy, 3 km ao este da Rodovia Nacional 9 pela Rodovia Nacional 52, rodeado de um imponente marco natural conformado pelo Cerro das 7 Cores -ícone turístico da região- e o Passeio dos Colorados, Purmamarca encanta o olhar do viageiro.

Trata-se de uma pequena aldeia de origem pré-hispânica cuja história de origem se remonta ao século XVI, tempos em que formava parte do Caminho do Inca. Seu traçado urbano foi realizado em torno à igreja de Santa Rosa de Lima. A praça, situada frente à igreja, é cada manhã o cenário da feira de artesanato mais colorida da região Norte. Vislumbra-se, atrás, a imagem imponente do Cerro das 7 Cores e as ruazinhas de terra vermelha que conduzem ao Passeio dos Colorados. Em um lado, silencioso, espera pelo viageiro o Cabildo de Purmamarca, o menor da Argentina. Algumas quadras mais para cima, a oferta de locais que exibem peças artesanais de desenho e restaurantes gourmet diversifica o paisagem e soma encanto, onde também existem pitorescos empreendimentos hoteleiros de refinada arquitetura, alta qualidade e destacados serviços.


Apoiado sobre o azul céu purmamarquenho, o Cerro dos 7 Cores constitui uma paisagem natural única pela sua particular beleza. Como desafiando as normas, contrário à tradicional imagem da montanha marrom e rochosa, este cerro se erige imponente com seus ocres, amarelos, laranjas, verdes, marrons, lilás e violáceos. Um verdadeiro arco-íris de pedra cujo ‘segredo’ está na origem sedimentária das rochas que o compõem. Uma excelente amostra da beleza natural da Quebrada de Humahuaca.

Bordeando o popular cerro, ao longo de apenas 3 km, o Passeio dos Colorados oferece uma paisagem magnífica. O circuito começa em alguma das ruazinhas do povoado -tem dos entradas / saídas possíveis– e se estende até transformar-se em um enigmático caminho de terra avermelhada. Avançando o passo, um pouco mais além, aparecem algumas casas afastadas e depois pura natureza tingida de vermelho furioso. No meio, os verdes amarelos brilhantes dos cardones disputam a atenção com o intenso celeste do céu. No interior do passeio, o olho experto poderá decifrar as distintas eras geológicas que conformaram o lugar: a erosão da água e dos ventos deixou a marca de seu trabalho milenário nas curiosas formas das contundentes rochas. No entanto, o viageiro se encontrará com um mágico jogo de cores brilhantes sempre diverso, segundo a hora do dia, segundo a estação do ano e até a quantidade da chuva caída. Em todos os casos, as vistas são magníficas e vale a pena parar para contemplar o paisagem que se apresenta, e o que vai se deixando para trás. É claro, como tudo em Purmamarca, o Passeio dos Colorados se desfruta melhor se é realizado com tempo e sem pressa,  de preferência a pé ou   de bicicleta.

Quando cai a tarde, o chá de coca e as empanadillas de cayote reconfortam o viageiro depois de sua caminhada pelas redondezas. Quando a lua brilhe a céu aberto, a música tomará posse de Purmamarca, onde a saborosa carne de chama e o inigualável vinho de altura serão o feitiço de uma experiência perfeita. 

Share Share Share Share

Mais para ver