Quantcast

Altíssimos cumes sempre nevados. Rios furiosos. Caminhos entre vales. E uma imensa planície coberta de lava. Todo um cenário natural para a aventura.

Em Mendoza os rios, vales e montanhas conformam irresistíveis cenários naturais para a aventura. Ao longo da Cordilheira dos Andes, a adrenalina se vive durante o ano todo na água e na montanha. A oferta de Mendoza para os viageiros aventureiros inclui: rafting, canopy, caiaque, mergulho, escalada, rappel, mountain bike, cavalgatas e paraquedismo. Em quase todos os casos, com propostas de diversos graus de dificuldade e exigência, para os que quiserem experimentar fortes emoções e também para aqueles que desejam desfrutar de um tranquilo vínculo com a natureza.

Ao longo do Estado, oito barragens propõem ao viageiro empreender a navegação à vela, o windsurfe, o esqui aquático e a pesca esportiva.

Para ter uma vista panorâmica de todo o território de Mendoza, os voos em asa-delta ou ultraleves e as viagens em balão sobre vinhedos descobrem a bela terra do Malbec e seus cumes prateados, com uma perspectiva inesquecível.

A 70 km em direção ao oeste cordilheirano, Potrerillos –um antigo assentamento agropecuário- se abre à aventura. Nos rios de montanha é possível praticar rafting e, com a Cordilheira no horizonte, lançar-se em tirolesa: um circuito que promete adrenalina em um percurso de 1.500 metros de voo por cima do Rio Mendoza.

No centro oeste do Estado, no fértil Vale do Uco, a travessia em 4x4 até Lagoa do Diamante é uma visita imperdível do verão do Estado de Mendoza. O Vale do Uco é uma terra ideal, também, para desafiar a valentia em expedições que recriam o cruzamento dos Andes pelo Exército Libertador do Gral. San Martín, praticar rafting a pleno sol no Rio Tunuyán e desfrutar de passeios de bicicleta entre anosos arvoredos e arroios naturais. Entre os cursos secos das huayquerías, místicas terras dos povos originários, o viageiro terá contato com a flora autóctone.

Ao sul, San Rafael e Malargüe são definitivamente destinos de aventura. Situada sobre o Rio Diamante, San Rafael é a segunda cidade em importância do Estado depois da capital. Funciona como base para as atividades turísticas do sul. Na cidade podem visitar-se: o Parque Hipólito Yrigoyen (o pulmão verde), a Casa de Elena e Fausto Burgos (promotores culturais da região), a Catedral de San Rafael Arcángel e o Museu de História Natural. Por sua parte, o Canhão do Atuel é o destino favorito para o verão de Mendoza. Ao longo de 67 km, partindo do salto de El Nihuil –em cujas redondezas de dunas se realizam expedições em 4x4-, atravessando variadas e estranhas formações geológicas, lagos e altíssimas paredes de pedra. É cenário de propostas para corações aventureiros: rafting, de diferentes tempos e graus de dificuldade, de 6 e até 16 km, de 40’ e até 2 horas; caiaque; mergulho, pesca; escalada, rappel; mountain bike e cavalgatas. Também se realizam trekkings a lugares com vestígios pré-colombianos. A barragem Valle Grande, com suas águas calmas, é a favorita para a contemplação da natureza. Sobre o caudaloso Rio Atuel, justo onde vira a Rodovia Nacional Ruta 40, o povoado de El Sosneado é um convite para desfrutar da natureza cordilheirana. Em Lagoa Blanca (dentro de campos privados) se avistam aves aquáticas e nas Termas del Sosneado se recuperam energias para continuar a viagem.

A 420 km de Mendoza, Malargüe conta com um importante e moderno Centro de Congressos e Convenções e é o ponto de partida de numerosos passeios pelas reservas naturais do Estado. O Parque del Ayer, perto do centro da cidade, permite percorrer seus caminhos entre galerias de álamos, inclusive, à noite. Castillos de Pincheira é a zona apta para acampar em plena natureza. Também são mais que interessantes os percursos pela Cascata de Chihuido, a Caverna das Bruxas - com suas estranhas atraentes estalactites e estalagmites-, a Lagoa de Llancanello e a particular Payunia. Coberta com rocha fundida (lava), La Payunia, também chamada Payén (em pehuenche, lugar onde se encontra cobre), é a região mais peculiar e a maior área natural de Mendoza. Sua importância radica na diversidade faunística e nas características geológicas que alberga. Sobre sua imensa, enegrecida e desolada superfície possui vulcões apagados e refugia fauna autóctone, como guanacos, emas e a raposa-cinzenta-argentina. Os caminhos que a percorrem são apenas sendas (É recomendável visitar esta Reserva Estadual unicamente com guia). Por sua parte, nos rios de Malargüe, com seu constante ruído de água entre as pedras, é possível pescar trutas. A diferença do que ocorre em outros lugares do país, Malargüe oferece àqueles que desfrutam da pesca águas rápidas e de cores variáveis, por volta 500 km de rios accessíveis em qualquer tipo de veiculo. Aqui se pescam trutas arco-íris, trutas de arroio, marrons e poleiros.

Finalmente, o centro de esqui Las Leñas incrementa, no verão, uma imperdível oferta de turismo aventura. 

Share Share Share Share

Mais para ver