Quantcast

Espaldeiras e parreiras contam a história que nasceu no tempo dos Jesuítas, transformou a paisagem com a chegada dos imigrantes e conformou a identidade de todo um povo.

Mendoza é o principal Estado vitivinícola da Argentina e desde julho de 2005 uma das Grandes Capitais Mundiais do Vinho. Nesta terra, berço do Malbec, mais de 1.200 bodegas produzem o 70% do total dos vinhos argentinos. Mendoza atrai os viageiros por muitas razões. A infraestrutura hoteleira e de serviços turísticos é das mais completas: hotéis cinco estrelas, alojamentos urbanos de gama média, exclusivos empreendimentos boutique, casonas rurais; restaurantes internacionais, redutos gourmet dedicados à cozinha de autor; cidades pitorescas e importantes museus; tours regulares para conhecer o processo de elaboração do vinho e viagens sensoriais personalizadas que incluem deliciosos encontros com sabores da cozinha regional. Os cenários naturais, com o impactante marco da Cordilheira dos Andes, são destinos especialmente aptos para combinar o tour pelas bodegas com o turismo aventura: neve, rios, montanhas, lagoas, covas, desertos, reservas de flora e fauna, oferecem inumeráveis propostas.


Em Mendoza, a grande concentração de estabelecimentos vitivinícolas abertos ao turismo permite desfrutar de uma experiência verdadeiramente integradora onde também marca presença a história da vitivinicultura local: muitas das bodegas contam com um museu onde se expõe um rico patrimônio que expressa o esforço dos pioneiros do vinho que fizeram desta uma terra bendita para a elaboração da “bebida nacional”.

Aqui se vive intensamente o tempo da colheita da vinha: a vindima. Durante os meses de fevereiro, março e abril - dependendo do tipo de varietal e da classe de produção a que seja destinado-, as uvas amadurecem e são colhidas pelos vindimadores, homens e mulheres que trabalham cuidadosamente selecionando os cachos a mão. Para comemorar este momento, os mendocinos realizam uma série de atividades culturais que culminam no primeiro sábado de março na cidade capital com a Festa Nacional da Vindima. Esta festa é um dos acontecimentos mais importantes do Estado, transcende fronteiras e convoca visitantes do todo mundo todo. Começa com a Bendição dos Frutos -cuja padroeira é a Virgem da Carrodilla- e continua com a Via Branca das Rainhas, um desfile pelas ruas do centro das candidatas a Rainha da Vindima. Finaliza em meio aos cerros, no Teatro Grego Fray Romero Day, com um impactante espetáculo artístico que é presenciado todo ano por mais de 30.000 espectadores.


Em Mendoza, as Rotas do Vinho se dividem em quatro regiões que respondem a quatro oásis vitivinícolas: Centro, Leste, Vale do Uco e Sul.

No Centro, a uma distância próxima da capital, se encontra a Primeira Zona Vitivinícola da Argentina. Conformada pelos departamentos Guaymallén, Godoy Cruz, Maipú e Luján de Cuyo, concentra uma grande quantidade de bodegas de todo tipo.

Muito perto da cidade capital, com uma distancia média que varia entre 2 e 4 km, é possível realizar visitas guiadas aos estabelecimentos vitivinícolas urbanos de Godoy Cruz, onde também é possível degustar e comprar seus vinhos, visitar salas de arte localizadas nos entornos bodegueiros e experimentar o encanto vínico gastronômico do lugar em requintados restaurantes gourmet onde se saboreiam comidas típicas, regionais e internacionais.

A 16 km da capital, Maipú, um verdadeiro oásis de vinhedos e oliveiras, é “o berço do vinho”. Aqui foram encontradas as primeiras vinhas. Fazer turismo em Maipú é uma experiência vinculada às sensações. As Rotas do Vinho e da Oliveira são percorridas, definitivamente, com os sentidos. Aos aromas, os sabores, as tonalidades e as texturas de Maipú, se acrescentam importantes testemunhas da história vitivinícola argentina como o Museu Nacional do Vinho e a Vindima que funciona na antiga casa do pioneiro bodegueiro italiano Juan Giol. Propostas de turismo rural e religioso completam este circuito.

E a 18 km, Luján de Cuyo aparece “a terra do Malbec”, já que é aqui onde esta cepa desenvolve condições excepcionais. Adentrar-se nas Rotas do Vinho locais permite conhecer um grande número de distinguidas e tradicionais bodegas onde podem ser realizadas variadas atividades como visitas guiadas, participação na colheita, cavalgatas pelos vinhedos, e conhecer a história dos primeiros imigrantes europeus. O Cordón del Plata, com seus cumes sempre nevados, acompanhará os viageiros ao longo deste percurso. No caminho, é recomendável a visita ao Museu Casa de Fader. E para os interessados na aventura, podem celebrá-la na região de alta montanha, em Potrerillos. De noite, a residencial e pitoresca zona de Chacras de Coria espera os turistas com uma irresistível oferta gastronômica gourmet.

Share Share Share Share

Mais para ver