Quantcast

Rumo à Patagônia, na aridez da planície da pampa seca, um convite para desfrutar da natureza calma, abrir bem os pulmões e oxigenar a alma.

Situado no centro sul do Estado da Pampa -porta de entrada à Patagônia-, sobre a Rodovia Nacional 152, a 220 km da cidade de Santa Rosa, o Parque Nacional Lihué Calel –em mapuche, “Sierras de la Vida”- preserva a flora e a fauna nativas e resguarda uma notável jazida arqueológica.


As serranias de Lihué Calel, que tiveram sua origem há 240 milhões de anos a partir de fortes erupções de lava, se destacam, com suas suaves pendentes, na imensidade da planície pampeana. Antiga zona de povoados caçadores e coletores -tehuelches e ranqueles-, abriga interessantes pinturas rupestres e restos fósseis. Rico em cultura y de curiosa natureza, este lugar incita a desfrutar de safaris fotográficos da fauna e da flora típica e a andar pelos sendeiros nada complexos e muito reconfortantes.

Em seu percurso pelo Lihué, entre arbustos de jarillas, bosques isolados de chañar, mata chiadora e molles, o viageiro avistará falcões-cinzentos, louros barranqueiros, perdizes, viscachas, tuco-tucos, lagartixas verdes e também rheas, gatos-palheiros, guanacos e raposas-cinzentas. A margarita pampeana, flor estadual de um amarelo brilhante, dará cor ao caminho. O sendeiro "Vale das Pinturas", um percurso de 600 metros de extensão, permite conhecer o uso dado à área pelos nativos e chega a um aleiro com mostras de arte rupestre: representações de motivos geométricos em vermelho e preto, que datam de 2.000 anos a.C. 


IMPORTANTE: O Parque Nacional Lihué Calel carece de infraestrutura para visitantes. Os serviços mais próximos estão na localidade de Puelches, 32 km para o oeste.

Share Share Share Share

Mais para ver