Quantcast

Um deserto vermelho de paredões que se perdem no horizonte. Rochas moldadas pela natureza durante milhões de anos. Aqui habitaram os dinossauros mais antigos.

O Parque Nacional Talampaya, declarado Patrimônio da Humanidade junto a seu vizinho do Estado de San Juan, o Parque Provincial de Ischigualasto, está situado na região centro-oeste do Estado de La Rioja, a 231 km da capital e a 74 km do povoado de Villa Unión. Belo e misterioso deserto vermelho, brotou das profundezas da terra quando surgiu a Cordilheira dos Andes. Ocupa uma superfície de 215 mil hectares e possui uma das formações naturais mais atraentes da Argentina: o Canhão de Talampaya. Há 250 milhões de anos foi reino dos dinossauros – aqui foram encontrados os restos fósseis do Lagosuchus Talampayensis, um dos primeiros dinossauros que habitaram a terra-; logo, foi solo dos humanos. Os dinossauros deixaram sua marca nas rochas. Também os homens - das culturas Diaguita e Ciénaga-, que esculpiram petróglifos entre os séculos III e IX d.C.

O Talampaya se percorre exclusivamente com guia autorizado. A aventura pode ser vivida a pé, de bicicleta e/ou em veículo 4x4. As caminhadas guiadas se realizam por circuitos que têm entre 3 e 4 horas de duração.  De bicicleta, com a guia sempre presente das imensas paredes vermelhas, o caminho torna-se uma aventura comovente. De carro a experiência chega aos lugares mais estranhos.

A principal atração é o Canhão de Talampaya -‘talhado’ sobre o cenário da Sierra de  los Tartajos-, tem uns 3 km de extensão e paredões que chegam aos 150 metros de altura. Aqui se observam curiosas figuras esculpidas pela água e o vento ao longo dos séculos. Entre elas: a Chaminé, o Monge (de 53 metros de altura, está pertinho do Tabuleiro de Xadrez), o Elevador, as Gavetas e a Catedral (um paredão rochoso de 120 metros de altura fecha o percurso ciclístico que transita o Canhão). Igualmente interessantes são os circuitos alternativos: Cidade Perdida e Arco Iris, programas que são percursos durante 5 a 6 horas por leitos de rios secos, dunas avermelhadas e pampas de areia povoada de guanacos. 

Nas noites de lua cheia, os guias de Talampaya realizam uma excursão definitivamente admirável.

Share Share Share Share

Mais para ver