Quantcast

O extremo do destino. ‘Capital histórica’ da Quebrada, estabelecida pelos espanhóis nos tempos da Conquista. É a postal colonial de uma terra milenária.

Instalada a 126 km de San Salvador de Jujuy, Humahuaca, a localidade que nomeia o destino turístico, conta com uma população de 12.000 habitantes e é um dos três povoados da Quebrada -junto a Tilcara e Purmamarca- com maior oferta de serviços para o turismo. Fundada pelos espanhóis no final do século XVI, constituiu um dos mais importantes centros de comércio do Alto Peru; hoje identificada como ‘a capital histórica da Quebrada’. Suas ruas estreitas e suas casas de adobe com os antigos faróis de ferro pendurados em cada porta convertem Humahuaca em um verdadeiro cartão postal dos tempos coloniais. 

Frente à praça se visita a pequena igreja de Nossa Senhora da Candelária. Construída em 1641, de impoluta fachada branca, conserva em seu interior a imagem da padroeira local (a Virgem da Candelária) e uma serie de pinturas do século XVIII que são testemunha da Escola de Cusco. Junto à igreja, uma empinada e extensa escada, cheia de pontos de venda de artesanato e ocasional cenário de artistas locais, conduz ao Monumento aos Heróis da Independência. Da cima, obtém-se uma interessante vista panorâmica impossível de não retratar com a câmara fotográfica. Ao meio-dia, quando os impiedosos raios de sol tingem a vida de Humahuaca, do interior do relógio do Cabildo, frente à praça, uma figura talhada de San Francisco Solano ministra sua benção. Nos agitados restaurantes do centro, contingentes de turistas se entregam às delicias regionais. Umas quadras para dentro, se oferece a possibilidade de degustar pratos de autor em pequenos redutos gourmet. Nas redondezas, no Museu Folclórico Regional, é possível entrever um rico e complexo panorama dos usos e costumes da região. E na zona da antiga estação de trem, é possível adquirir produtos comestíveis autóctones.

Share Share Share Share

Mais para ver